FÓRMULA 1: Treinos Livres do GP da Hungria


  • Temperatura da pista acima de 60 graus no início do FP2 são as mais altas da era Pirelli;
  • Sebastian Vettel impõe o ritmo com o Ultrasoft no FP2 e Daniel Ricciardo é o mais rápido com o pneu Soft no FP1;
  • Cerca de 0,8 segundos entre o Soft e o Ultrasoft até agora e 0,6 segundos entre o Médio e o soft.

Texto e fotos: Pirelli

Um dia desafiador de treinos livres em Hungaroring, com uma das temperaturas mais altas já registradas pela Pirelli na Fórmula 1, e que, logo depois, caiu rapidamente, devido a nuvens que passaram pelo circuito. Isso, juntamente com uma pista escorregadia e “verde’ e a volta curta de Hungaroring, fez com que os quatro ponteiros terminassem os treinos livres muito próximos. Os pilotos usaram as sessões de treino livre para realizar o trabalho habitual, avaliando os diferentes pneus, com diferentes cargas de combustível, com objetivo de analisar, em particular, qual poderia ser a taxa de degradação do Ultrasoft – composto utilizado pela primeira vez na Hungria. Esta será uma questão chave para determinar a estratégia ideal para a corrida deste domingo, com uma ou duas paradas.


Mario Isola, gerente mundial de Motorsport da Pirelli: "A temperatura extremamente variada da pista, assim como as considerações usuais que vêm com uma pista “verde”, tornam, como sempre, difícil avaliar as condições das sessões de hoje. As principais equipes estão muito próximas. O asfalto mais escuro faz com que grande parte do calor seja sempre retido pela pista, o que deve ser levado em consideração. Se o clima amanhã permanecer tão quente como esteve hoje, será especialmente importante ser cuidadoso para que os pneus atinjam a janela de pico de desempenho durante as voltas de preparação para a classificação. Como é muito difícil ultrapassar em Hungaroring, o treino classificatório é particularmente importante."

*Os números acima dão o total de quilômetros percorridos durante os dois treinos livres com todos os pilotos combinados.
** Por composto, todos os pilotos combinados.

Pressões mínimas para a largada e limites de cambagem

Nenhum comentário

Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.