LANÇAMENTO: Escola do Mecânico inaugura primeira unidade na capital paulista

Com cursos completo e modulares para Mecânica Automotiva, de Motos e para Balconistas de Autopeças a escola prepara profissionais para enfrentar os novos desafios do mercado

Texto e fotos: Escola do Mecânico

A indústria automotiva dia a dia lança veículos mais sofisticados, buscando proporcionar ao consumidor melhor dirigibilidade, conforto e eficiência. Mas a formação e capacitação dos profissionais do setor não caminhou com a mesma velocidade. Hoje o mercado enfrenta uma carência de profissionais que saibam lidar com a diversidade de opções de modelos de veículos, que invadiu o mercado brasileiro nos últimos anos.


A Escola do Mecânico nasceu há seis anos, pelas mãos da empresária Sandra Nalli. Apaixonada por carros e “formada” em uma loja de serviços automotivos, sentia na pele a dificuldade na hora de admitir um mecânico especializado. Essa falta de perspectivas na hora da contratação despertou nela o desejo de ensinar mecânica e profissionalizar o setor. Para isso montou uma pequena estrutura e iniciou dando aulas aos jovens da Fundação Casa, oferecendo uma nova perspectiva de vida.
A procura foi crescendo e o que era um sonho tornou-se realidade. A Escola do Mecânico, até dezembro deste ano, formara sete mil alunos; Jovens que procuram uma profissão, mecânicos já estabelecidos que procuram especialização para não ficar fora do mercado e mulheres. Sim, muitas mulheres têm buscado a profissionalização para entrar neste mercado, ainda dominado pelo sexo masculino.


Sandra Nalli fez uma pesquisa em todo território nacional para avaliar o potencial deste mercado. Com base nos resultados formatou um modelo de expansão da Escola do Mecânico, para ser replicado de modo sustentável. Hoje a Escola está presente em Campinas, com quatro unidades, Ribeirão Preto, Salvador, Sumaré Jundiaí, Sorocaba e São Paulo, que está sendo inaugurada hoje.
O modelo, desenhado em forma de parceria, prevê que até o final de 2017 chegue a 20 escolas. “As pesquisas mostraram que o Brasil comporta 219 unidades, em 158 municípios. Mas, para que esta expansão se consolide, a escola adotou um padrão de análise do perfil do prospect franqueado, para entregar a marca e o projeto nas mãos de pessoas que possuam a mesma filosofia de valores da empresa", explica Nalli.

Unidade São Paulo
A Escola de São Paulo está situada na rua Alferes Magalhães, 200, a duas quadras do Metrô Santana.  É uma moderna unidade com cinco salas de aulas teóricas, pátio com equipamentos de última geração e um auditório com capacidade para 100 pessoas.
Nesta unidade os cursos oferecidos são de Mecânica Automotiva, envolvendo todos os sistemas do veículo (Rodagem, Suspensão, Freios, Motor, Transmissão, Injeção Eletrônica e Elétrica Automotiva), destacando que 80% das aulas são práticas, com laboratório que simula o ambiente de uma oficina. O curso de Mecânica de Motocicletas, que também é ministrado na prática, envolve mecânica, injeção eletrônica e elétrica de motocicleta com até 1200cc. Finalizando, o curso de Balconista de Autopeças.


Os proprietários da Escola do Mecânico paulista, Alexandra Peres e Everton Nespolo, trabalham no ramo automotivo, são diretores da BFX-Borflex, e viram na escola uma oportunidade de negócio e de difundir conhecimento. “Pessoas com cursos técnicos são empregadas mais rapidamente segundo pesquisa IBOPE e, nós oferecemos esta capacitação em ambiente favorável ao aluno. Professores especializados, grande carga de aulas práticas e equipamentos modernos, este conjunto, somado à vontade de aprender do aluno propicia a formação de excelentes profissionais” fala Nespolo.
Para Alexandra Peres um dos diferenciais da escola, que a fez de apaixonar pelo projeto, foram os programas sociais. O Emprega Mecânico, onde a escola é o elo de ligação entre a vaga oferecida por empresas do setor e o aluno e a possibilidade de adotar alunos carentes.
Alexandra Peres traz o olhar da experiência do trabalho na indústria para a Escola. “Eu acredito que a experiência da indústria, somada ao potencial dos distribuidores gerem um olhar para o cliente final propiciando o suporte e equilíbrio para toda a cadeia”, conclui Peres.

Diferenciais
  • Laboratório de testes - Na sede em Campinas, existe um Laboratório de Teste e Desenvolvimento de Novos Cursos. Os testes são realizados em parceria com os principais fabricantes de ferramentas e equipamentos automotivos. Após homologados esses módulos são disponibilizados à rede de franqueados.
  • PDI - O Programa de Desenvolvimento do Instrutor consiste na especialização e capacitação profissional do corpo docente das Escolas. Esse movimento de transformação é realizado junto com a equipe de engenharia das indústrias. O PDI conta com a orientação de uma pedagoga, que aprimora a parte didática de cada instrutor.
  • Portal emprega mecânico - A Escola desenvolveu uma ferramenta que vai auxiliar na empregabilidade do setor: O Portal do Emprega Mecânico. Este Portal está disponibilizado para empresas do setor automotivo que tem vagas em aberto e para profissionais que buscam uma oportunidade de trabalho.
  • Adote um aluno - Este foi o programa que deu início a Escola e é a menina dos olhos de Sandra Nalli. Através dele alunos carentes podem ser adotados (ganhando uma bolsa de estudos) pela própria escola ou parceiro.
  • EAD - Neste segundo semestre a Escola do Mecânico inicia seu programa de Ensino a Distância para todo o Brasil. Esta modalidade atenderá principalmente os mecânicos atuantes nos módulos de especialização.
  • Centro de tecnologia e capacitação profissional - Em outubro será inaugurado em Campinas o Centro Tecnológico de Formação. Com uma área de 1.550m², terá capacidade de atender 1.500 alunos/mês. O CTF está sendo preparado para oferecer o que há de mais moderno no setor de reparação automotiva.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.