Quatro motivos para ficar atento ao filtro de ar-condicionado no inverno

Em dias mais frios o sistema de aquecimento interno do veículo é mais utilizado e aumenta o número de doenças respiratórias

Texto e fotos: Grupo Freudenberg

Com a chegada do inverno e dos meses mais frios do ano – com constantes mudanças de temperatura – a ocorrência de problemas respiratórios pode aumentar. E além da casa e do trabalho, o carro é outro local em que passamos várias horas do dia, principalmente em cidades com grandes volumes de carros, trânsito intenso e altos índices de poluição. Geralmente, é quando os sistemas de aquecimento dos veículos são mais usados.
Líder mundial na fabricação de filtros de ar de cabine de veículos, a micronAir, marca que pertence a Freudenberg FIltration Technologies, empresa do Grupo Freudenberg, traz aos motoristas e mecânicos quatro motivos para ficarem atentos ao filtro de ar-condicionado dos veículos no inverno, ressaltando a importância da troca do único item do carro que é destinado a saúde dos ocupantes.

Mudança de temperatura e do hábito
Ao contrário do que ocorre no verão, em que as pessoas se dividem entre abrir os vidros do carro ou ligar o ar-condicionado, a chegada do inverno torna comum que as pessoas fechem os vidros do carro e optem pelo recurso de aquecimento interno, sendo este sistema a principal porta de entrada de fungos, bactérias e partículas alergênicas. Por isso, é importante verificar se o filtro do carro está no prazo de validade para manter o conforto dentro do seu veículo e evitar a inalação de microorganismos.

Mau cheiro
Em algumas cidades como São Paulo, por exemplo, a poluição é muito grande e não é difícil passar por áreas com cheiro desagradável; muito pior, é ter esse cheiro dentro do seu veículo. Para evitar esse problema, e manter o seu carro sempre aquecido no inverno e com um odor agradável, é recomendável utilizar filtros de ar-condicionado com carvão ativado, que além da limpeza do ar, também bloqueia odores indesejáveis.

Doenças respiratórias
As doenças respiratórias são uma das principais causas de morte no mundo. Estima-se que 30% da população sofra com alergias ou asma. Um carro com o ar-condicionado ligado faz o mesmo papel de um aspirador de pó, trazendo para o interior do veículo toda a poluição presente no ar, que faz, por ano, mais de 3,3 milhões de vítimas.
Neste caso os filtros mais indicados são os antialérgicos, como o micronAir Blue, que além de todas as funções dos outros filtros, neutraliza também as partículas alergênicas e os poluentes gasosos. Esta é uma tecnologia desenvolvida pelo Grupo Freudenberg e deverá estar disponível ainda este ano no país.

Segurança
Além dos benefícios a saúde, os filtros também agem a favor da segurança dos ocupantes por evitarem a entrada e o acúmulo de partículas de sujeira, que aceleram o embaçamento dos vidros do automóvel quando ficam depositadas no interior das janelas, retendo umidade e, assim, limitando significativamente a visão do condutor. Por este motivo, na hora de trocar o seu filtro peça o filtro original micronAir, que é a principal marca fornecedora das montadoras e todas as peças são produzidas tendo em vista o cumprimento às mais rígidas exigências da indústria automotiva.
De acordo com Carlos Matos, gerente de mercado de filtros automotivos para a América do Sul, “nossos filtros foram precisamente projetados para o sistema de ventilação do automóvel. Os produtos originais garantem que a instalação fique perfeita e não acarrete problemas futuros. O filtro de ar de cabine de fábrica também opera perfeitamente em todas as temperaturas entre -40 graus e 85 graus, ou seja, a qualidade do ar é boa tanto no calor tropical quanto no frio ártico”.
“Além da qualidade, a durabilidade é outro diferencial importante dos produtos da micronAir, uma vez que podem ser substituídos apenas uma vez ao ano ou a cada 15.000 quilômetros, período que representa o dobro de tempo em relação aos itens de outros fabricantes”, finaliza Matos.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.