ABRACICLO: Com menos dias úteis, produção de motocicletas recua, mas vendas seguem estáveis

No varejo, a média diária de negócios atingiu 3.609 unidades em abril, volume similar em relação a março, que havia registrado 3.603

Texto e fotos: SD&Press Consultoria

A produção de motocicletas em abril totalizou 64.380 unidades, volume 21,9% inferior em relação a março (82.416). Em comparação com o mesmo mês de 2016 (63.036), houve crescimento de 2,1%, conforme levantamento divulgado pela ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares. O acumulado da produção no ano registrou leve alta de 1,8%, passando de 290.662, em 2016, para 295.761, em 2017.


As vendas no atacado – para concessionárias – somaram a 61.342 unidades em abril, correspondendo a uma queda de 23,7%, em comparação a março (80.372 motocicletas). Sobre abril de 2016 (72.197), houve retração de 15%. Já nos primeiros quatro meses do presente ano, a comercialização no atacado teve recuo de 3,6%, com 277.162, contra 287.569 no primeiro quadrimestre de 2016.
No varejo, foram vendidas 64.961 motocicletas no mês passado, o que representa um recuo de 21,6% ante o volume de março (82.879) e de 18,5% em relação a abril de 2016 (79.671). A média diária de vendas no mês chegou a 3.609 unidades, praticamente o mesmo volume (alta de 0,2%) ao da média de março (3.603), mesmo abril tendo tido 5 dias a menos de comercialização (23 dias úteis em março contra 18 dias úteis em abril). No acumulado do ano, a queda foi de 13,7%, com 275.931 motocicletas licenciadas, contra 319.594 unidades, em 2016.
“O que se observa como aspecto mais relevante é a manutenção da média diária de vendas em torno de 3,6 mil unidades, comprovando a expectativa de que o mercado de motocicletas deixou para trás a situação de seguidas quedas mensais e ingressou efetivamente num patamar de estabilidade”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.
Nas operações de exportação, o segmento de motocicletas registrou retração de 33,5%, passando das 5.722 unidades de março para 3.804 motos em abril. Na comparação com o mesmo mês de 2016 (4.122), as exportações também registraram queda, de 7,7%. Porém, se analisado o acumulado de 2017, a comercialização para outros países teve aumento de 18,9% (17.871 em 2016 ante 21.248 unidades em 2017).
Em abril, os principais destinos das motocicletas fabricadas no Brasil foram Argentina (68,5%), Austrália (5,9%), Estados Unidos (5,7%), Colômbia (5%) e Canadá (4,6%), entre outros países, conforme dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MDIC, analisados pela Abraciclo.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.