SALÃO DO AUTOMÓVEL: Salão do Automóvel dobra número de test drives durante o evento e recebe aprovação de milhares de fãs

Lançamentos, carros-conceito e atrações de 34 marcas fizeram a alegria dos apaixonados por carros que visitaram um Salão do Automóvel inovador, conectado e em completa sintonia com as tecnologias e tendências

Texto e fotos: Reed Exhibitions Alcantara Machado

Não faltou emoção às milhares de pessoas que viram de perto as últimas novidades do universo automotivo durante Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, de 10 a 20 de novembro, que chegou à edição de 2016 de casa nova. Pela primeira vez, o evento aconteceu no São Paulo Expo, reunindo 540 veículos e 34 marcas distribuídos em 90 mil m² internos, e mais de 1.200 horas de atividades interativas. Na área externa do pavilhão, mais 20 mil m² foram destinados a test drives e experiências exclusivas das marcas Chevrolet, Peugeot, Land Rover, Volkswagen e Nissan.


Para o vice-presidente da organizadora do evento, a Reed Exhibitions Alcantara Machado, 2016   ficará marcado como o ano em que se comprovou que a experiência ao vivo, face to face, é uma das ferramentas fundamentais utilizadas pelas marcas para gerar  conexão emocional com os consumidores e apaixonados por automóveis. “O Salão praticamente dobrou o número de test drives realizados: foram 35 mil até sexta-feira (18). Sem falar na oferta de mais conforto – como o ambiente climatizado e 4.500 vagas de estacionamento cobertas  - e praticidade para os visitantes. Este também foi o Salão mais conectado do mundo, com mais de 757 mil fãs no Facebook, e cobertura ao vivo com vídeos no Snapchat  e Twitter. Essa audiência virtual uniu-se aos mais de 715.477 visitantes presenciais, que encontraram uma oferta inigualável de atrações e interatividade das marcas com o público”, avalia Paulo Octávio Pereira de Almeida.
Estima-se que 30% do público, cerca de 200 mil pessoas, não sejam moradores da cidade de São Paulo, e que tenham movimentado algo em torno de R$ 320 milhões na economia da cidade. O evento gerou mais de 30 mil empregos diretos e indiretos. “O Salão é uma plataforma essencial para o estímulo ao consumo de automóveis de todas as marcas e preços. E os índices de satisfação dos visitantes em relação ao evento foram os mais altos da história, atestando que este realmente foi o melhor Salão do Automóvel de todos os tempos”, finaliza Paulo Octávio.


“Estamos profundamente orgulhosos com este Salão do Automóvel, pois o evento atingiu nossa expectativa de ser a melhor edição da história. Tudo contribuiu para esse resultado: os estandes amplos e bem desenhados, a modernidade e climatização do novo local, mas, principalmente, os veículos expostos. Foram diversos lançamentos, conceitos que mostram tendências, veículos antigos e automóveis dos sonhos, que fizeram a exposição ser um sucesso de público. Saímos desta edição com a certeza de que a paixão do brasileiro pelo automóvel está mais viva do que nunca”, comemorou Antonio Megale, presidente da Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, entidade apoiadora do evento . Durante o Salão, a Anfavea homenageou alguns dos mais importantes jornalistas do setor automotivo, considerados pioneiros da comunicação empresarial para esse mercado, além de trazer ao pavilhão, em parceria com a Federação Brasileira de Veículos Antigos, carros antigos de momentos históricos da indústria nacional, que celebra 60 anos em 2016. Estiveram no pavilhão carros como DKW Fissore, Dogde Charger R/T 1971, Fiat 147, Ford Galaxie, Fusca "Pé de Boi" VW 1200, Kombi 1960, Opala 3800, Volkswagen SP2 197 e Willys Interlagos Berlineta. Duas unidades da Romi-Isetta, sendo uma delas a de chassi nº5, também estavam expostas no Salão.


“O Salão Internacional do Automóvel de São Paulo mostrou, mais uma vez, a força da indústria nacional e do setor de veículos importados. E o público fez a sua parte. Pelas manifestações dos visitantes, nas ‘ruas’ do pavilhão São Paulo Expo, pudemos observar que os consumidores estão ávidos por carros novos. Espero que a engrenagem da economia volte a se movimentar rapidamente. De outra parte, o Salão do Automóvel, para o setor de veículos importados, pelas repercussões da mídia de todo o País, constitui-se em fórum apropriado para abrir um novo ciclo de debates sobre o futuro do setor automotivo, em especial no que tange ao tratamento isonômico entre nacionais e importados”, avalia José Luiz Gandini, presidente da Abeifa – Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores.

Conceitos e mobilidade
Um dos destaques do evento foi o Espaço dos Sonhos, com máquinas das marcas Ferrari, Lamborghini, Tesla, Lexus, Jaguar, Land Rover e motocicletas Ducati. Nele, os dois automóveis mais caros do Salão também eram alguns dos mais belos da exposição: o Lamborghini Huracán (R$ 2,6 milhões) e o Ferrari 488 GTB (R$ 1,890 milhão).


Além dos carros que já estão disponíveis no mercado ou que estarão em breve nas concessionárias no próximo ano, o Salão do Automóvel também mostrou tendências aos visitantes. Prova disso foram os inúmeros carros-conceito expostos no pavilhão, como o Peugeot Fractal (cujo acabamento é 80% feito em impressão 3D), o C-HR da Toyota, com carroceria inspirada em um diamante, e o imponente Lexus LF-FC que possui até holograma no console central e é movido por células de combustível.
Outros destaques foram o Nissan Concept 2020 Vision Gran Turismo, que surgiu nos videogames e posteriormente veio para o mundo real, e o Concept IAA (sigla para Intelligent Aerodynamic Automobile), da Mercedes-Benz, que adapta a carroceria para, quando atingir 80 km/h, reduzir a resistência do ar e elevar seu coeficiente aerodinâmico. Além dos carros, dispositivos de mobilidade também impressionaram o público, como o UNI-CUB β – espécie de “banquinho com rodas” da Honda que se orienta pelo balanço do corpo do usuário – o hoverboard real da Lexus e a sonda Lunar quattro, da Audi.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.