FÓRMULA 1: Pirelli apresenta a gama de pneus de 2017 para a Fórmula 1


  • NOVOS PADRÕES DE BANDAS DE RODAGEM FORAM REVELADOS PARA OS INTERMEDIÁRIOS E DE CHUVA;
  • RESULTADOS POSITIVOS FORAM OBTIDOS COM A PROGRAMAÇÃO DE TESTES PARA 2017, QUE SERÁ CONCLUÍDA NA TERÇA-FEIRA, APÓS O GP DE ABU DHABI;
  • EM MÉDIA, OS TEMPOS DE VOLTA DEVEM CAIR TRÊS SEGUNDOS OU MAIS NO ANO QUE VEM.


Texto e fotos: Pirelli

Toda a gama dos novos pneus P Zero com as medidas de 2017, mais largos, estão sendo apresentados no paddock de Yas Marina, no Grande Prêmio de Abu Dhabi. Além disso, é possível olhar pela primeira vez os novos padrões das bandas de rodagem dos pneus Cinturato intermediário e de chuva.


NOVAS MEDIDAS
O pneu dianteiro ficou 60 mm mais largo, indo de 245 mm para 305 mm. O pneu traseiro cresceu 80 mm, indo de 325 mm para 405 mm. Isso significa que os pneus de 2017 estão cerca de 25% mais largos que os atuais. Isso se aplica aos pneus intermediários e de chuva, bem como os de pista seca.

As medidas dos novos pneus de pista seca são:
  • 305/670-13 (dianteiro)
  • 405/670-13 (traseiro)

Os pneus Cinturato intermediários terão um diâmetro de 675 mm, enquanto os pneus Cinturato de chuva terão 680 mm de diâmetro.
A medida do aro permanece inalterada, com 13 polegadas.


TESTES
Graças a uma mudança no regulamento esportivo da FIA, o desenvolvimento dos novos pneus de 2017 aconteceu ao longo de 10 sessões, totalizando 24 dias acumulados de pista. O programa de testes usando carros modificados individuais começou no início de agosto, enquanto o último teste foi concluído na semana passada, em Abu Dhabi, na Ferrari. Na terça-feira, após o Grande Prêmio de Abu Dhabi, os três carros modificados, Ferrari, Mercedes e Red Bull, serão vistos juntos na pista pela primeira vez.


CARROS MODIFICADOS
Cada uma das três equipes providenciaram um carro de 2015 modificado, que foi adaptado de acordo com as diretrizes técnicas específicas da FIA. O objetivo era simular o regulamento do ano que vem, com mais pressão aerodinâmica, uma pista mais larga e pneus mais largos. Cada carro completou até agora sete dias de testes (conforme detalhado no calendário de testes), com o trabalho igualmente dividido em todos os diferentes compostos de pneus de pista seca, bem como os intermediários e o de chuva.
O teste de 29 de novembro em Abu Dhabi será o oitavo dia de pista para cada uma das três equipes. Isso faz um total acumulado de 24 dias, que completam o programa de desenvolvimento deste ano, acordado entre as equipes, a FIA e a Pirelli.


PROGRAMAÇÃO
Um total de cinco circuitos receberam a programação de desenvolvimento, como detalhado abaixo:

TESTES COM CARROS MODIFICADOS – MEDIDAS DE 2017
Sessão
Data
Dias de teste
Circuito
Carros
Tipo de pneu
Pilotos
1
1-2 de agosto
2
Fiorano
FER
Chuva
Vettel/Gutierrez
2
3-4 de agosto
2
Mugello
RBR
Slick
Buemi
3
6-7 de setembro
2
Barcelona
FER
Slick
Raikkonen/Vettel
4
6-7-8 de setembro
3
Paul Ricard
MGP
Slick
Wehrlein
5
21-22 de setembro
2
Paul Ricard
MGP
Chuva
Wehrlein
6
12-13 de outubro
2
Barcelona
MGP
Slick
Rosberg
7
14-15-16 de outubro
3
Abu Dhabi
RBR
Slick
Gasly
8
2-3 de novembro
2
Abu Dhabi
RBR
Chuva
Gasly
9
15-16-17 de novembro
3
Abu Dhabi
FER
Slick
Vettel/Fuoco
10
29 de novembro
3
Abu Dhabi
Todas as três equipes
Slick
  


RESULTADOS
A Pirelli está satisfeita com os resultados obtidos até o momento, apesar das obvias dificuldades que as equipes enfrentaram para modificar seus carros de 2015, com o objetivo de simular exatamente a performance esperada para o ano que vem.
Mesmo gerando mais pressão aerodinâmica na comparação com os carros atuais, os carros modificados não chegam a ter a mesma performance que os carros de 2017, o que influenciará a forma com que os compostos se comportam. Alguns desses compostos, projetados com uma nova filosofia e novos materiais, já começaram a atingir os resultados esperados: níveis menores de degradação e maior resistência ao superaquecimento. Isso permite que eles mantenham um nível otimizado de aderência consistentemente. Porém, todos esses resultados serão validados no início do ano que vem, em condições representativas. Uma complicação vem do fato que alguns dos testes na Europa aconteceram com frio e chuva, limitando sua relevância.
Em todo o caso, o desenvolvimento continuará ao longo de 2017, para entregar as melhorias que forem solicitadas baseadas em dados obtidos durante as corridas e também para oferecer um produto ainda mais evoluído em 2018.
Tudo isso foi discutido e acordado entre as equipes, sendo que a Pirelli já está trabalhando com elas para definir um novo plano de testes para a próxima temporada.


PAUL HEMBERY, DIRETOR DE MOTORSPORT DA PIRELLI: “Eu gostaria de agradecer a todas as equipes que nos permitiram desenvolver nossos novos pneus mais largos para 2017, usando seus carros modificados. Conseguimos grandes avanços desde que experimentamos os novos pneus pela primeira vez, no início de agosto, e estamos satisfeitos com os resultados obtidos pela maioria das especificações. Entretanto, sabemos que o trabalho está apenas começando. O progresso aerodinâmico obtido para os carros do ano que vem vai baixar os tempos de volta em cerca de cinco segundos na comparação com 2015, e cerca de três segundos comparado a este ano. Os novos carros que serão levados para a pista pela primeira vez em fevereiro terão um aumento de mais de 20% em pressão aerodinâmica, muito mais do que vimos com os carros modificados. E esse progresso continuará ao longo de toda a próxima temporada. Assim, a próxima fase do nosso desenvolvimento, com foco nos carros de 2018, que serão ainda mais rápidos, já começa em fevereiro”.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.