FÓRMULA E - METADE DE UM DIA POSITIVO EM HONG KONG; DEPOIS, UMA GRANDE DECEPÇÃO PARA A DS VIRGIN RACING

Sam Bird e José María López largaram na segunda fila e Bird liderou a primeira parte da prova, mas problemas acabaram deixando os dois pilotos da equipe fora dos pontos na abertura da temporada 2016-2017 da Fórmula E

Texto e fotos: DS Virgin Racing

Depois de um começo muito positivo em Hong Kong, com os dois pilotos da DS Virgin Racing qualificados no Top 4, o dia terminou com grande desapontamento. Sam Bird teve um problema técnico durante a mudança de carros, quando liderava a corrida, e José María López teve sérios problemas de dirigibilidade, após uma colisão na primeira curva.


Para os fãs, a abertura da terceira temporada da Fórmula E, em Hong Kong, foi um espetáculo marcante. Tendo como pano de fundo o incrível skyline de uma das maiores cidades do mundo, a corrida foi emocionante e imprevisível até o final. Infelizmente para a DS Virgin Racing, o dia que começou de maneira extremamente positiva terminou com o sentimento de uma grande oportunidade perdida, já que o claro ganho de desempenho ao longo do período de entressafra da temporada não foi transformado em um grande resultado na corrida.
Sam Bird esteve altamente competitivo durante todo o dia, entregando um bom desempenho nos treinos livres 1 e 2. Ele repetiu o feito no treino classificatório e estabeleceu o quarto melhor tempo, um segundo mais rápido que o eventual pole position.


Mas o verdadeiro astro do treino classificatório foi José María López. Depois de não conseguir andar com potência total durante as duas primeiras sessões de treino, parecia impossível conseguir um bom resultado na qualificação. Entretanto, em sua primeira corrida na Fórmula E, “Pechito” superou o desafio e conseguiu um tempo que o colocou em terceiro lugar no grid de largada.
Fechar a segunda fila do grid foi um grande resultado para a equipe, altamente merecido depois de todo o trabalho realizado ao longo dos últimos seis meses em termos de projeto e desenvolvimento do DSV-02, seu desafiante para a terceira temporada da Fórmula E.
Quando a corrida começou, os dois pilotos da DS Virgin Racing deram uma boa largada, com Sam ultrapassando José María no caminho para a primeira curva. No entanto, tão logo eles passaram pelo primeiro hairpin, houve uma pequena colisão e, infelizmente para José María, isso resultou em sérios problemas de dirigibilidade durante a primeira parte de sua corrida.
O indefeso José María foi ultrapassado rapidamente e caiu de posição, tendo abandonado a corrida quando já estava em seu segundo carro. Infelizmente para “Pechito”, ele não pôde usar o Fanboost que havia conquistado antes da prova.


Sam, por outro lado, subiu de posição, assumindo o segundo lugar e em seguida a liderança da corrida ao ultrapassar Nelson Piquet Jr. Evitando o desafio de Sébastien Buemi, Sam parecia um potencial vencedor da corrida ao abrir 3,3 segundos de vantagem em relação aos demais concorrentes. Entretanto, durante a mudança de carro precedida por uma entrada de safety car, o segundo carro de Sam não deu a partida. Ele ficou uma volta atrás dos novos líderes enquanto permanecia retido na garagem do box, até que o problema foi corrigido. Isso arruinou suas chances de vitória. Embora Sam tivesse lutado nos estágios posteriores da corrida, claramente mostrando o bom ritmo de seu carro, a montanha tornou-se muito grande para ser escalada. Ele terminou em 13º lugar.


Após a corrida, Sam declarou: “Tivemos dificuldades técnicas durante a troca de carros. Embora seja obviamente tenha sido arrasador depois da vantagem que eu havia aberto, é melhor diagnosticar e resolver os problemas agora, na primeira corrida, do que no restante da temporada”.
No paddock, havia lamentos por José María López, que comentou: “Levei um toque na primeira curva e não me recuperei mais disso”. Falando sobre sua estreia na Fórmula E, entretanto, ele permanecia otimista: “Tive um treino classificatório fantástico, ganhei ofanboost pelo qual quero agradecer aos meus torcedores, e agora eu sei que posso entregar resultados na Fórmula E. O carro é rápido e creio que o treino classificatório comprovou isso. Tenho certeza de que o resultado final vai ser muito, muito melhor em Marrakech”.
O chefe da equipe, Alex Tai, reforçou essas impressões ao dizer: “Provamos hoje que todo o esforço feito nos últimos seis meses no projeto e desenvolvimento do nosso carro para a terceira temporada com a DS Performance tem valido a pena. Nós claramente temos um carro rápido, e se não fosse por uma grande falta de sorte teríamos terminado no pódio e talvez até mesmo ter vencido a prova. Somos todos indivíduos altamente apaixonados na equipe e eu sei o quanto um dia como este machuca a cada um de nós. Mas há aspectos altamente positivos para levar do final de semana em termos de ritmo do carro, e eu tenho certeza de que vamos nos recuperar fortemente em Marrakech e demonstrar a todos exatamente o que somos capazes de fazer”.
O mesmo sentimento era refletido pelo Diretor de Performance da DS, Xavier Mestelan Pinon: “Os resultados na tabela de hoje não estão em linha com o nível desta equipe e deste carro. José María López provou no qualifying o quanto é rápido e Sam Bird demonstrou nossa eficiência energética. Estamos aguardando ansiosamente pela próxima corrida”.
O chefe do Centro de Tecnologia, Sylvain Filippi, tema da nossa campanha “Elemento Humano”, na qual traçamos o perfil de membros da equipe durante o final de semana, comentou: “Com certeza, este não é o resultado que estávamos esperando depois do treino classificatório. Temos melhorado em todas as áreas na Temporada 3, mas um dia como este não demonstra isto. Esta é a maior frustração”.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.