REPÓRTE EXPO: Estéreo, Alta Fidelidade e Som Surround. Não é feira de áudio, não, é a Automec mesmo!


  • A 13ª Feira Internacional de Autopeças, Equipamentos e Serviços acabou no sábado dia 29 de abril e deixou uma mensagem claramente audível para todo o país: Nada, nada mesmo resiste à força do trabalho bem feito;
  • E aos bons exemplos vindos de todos os lados, de todos os mercados nos envolvendo permanentemente naquela sensação de imersão total;
  • Aonde quer que estejamos porque, afinal de contas, esse é um mercado realmente global.


Texto: Carlos Lua
Fotos: Arquivo
Batendo recordes de visitantes, de lançamentos e de negócios realizados a Automec soou como música aos ouvidos de toda a economia. Mostrou que a indústria de Autopeças, Equipamentos e Serviços em seus setores de veículos pesados, leves e comerciais entrou no compasso mundial. Pouco a pouco, olhando os exemplos de outros países, o Brasil vai procurando deixar de lado a “batucadinha caseira na caixinha de fósforos” para entrar com tudo na ordem sinfônica mundial.
E a Automec foi pródiga em participantes estrangeiros também, todos de olho nesse mercado de 40 milhões de veículos da nossa frota circulante. Assim é que (em ordem alfabética) Argentina (que já assou por processo parecido), Coréia, China (tomando um espaço cada vez maior), Turquia estavam lá para contribuir com ideias e processos. E ganhando espaço enquanto “Dormia a nossa indústria local tão distraída, sem perceber que era subtraída” e deixava que outros avançassem.


O exemplo da Coréia é bem forte, em 1967, recém-saída de uma guerra civil tinha um PIB per capita que era exatamente 54% do PIB per capita do Brasil. Hoje, passados 50 anos tem um PIB per capita que é 134% maior do que o nosso!  Engatamos uma ré e fomos clamorosamente atropelados pela burocracia, lentidão de reformas, desvario de impostos (Rodrigo Carneiro, presidente interino da Andap - Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças enfatizou o problema que enfrenta o setor em relação aos estoques. “Um terço dos estoques se refere a impostos! Nós queremos pagar impostos, mas não sobre peças ainda não comercializadas”) e obsoletas práticas comerciais. A Automec foi mais do que uma feira alentadora, foi um divisor de águas.


Dana - O passado para melhorar o presente e melhorar o futuro
A Dana, empresa líder no fornecimento de sistemas de transmissão, vedação e gerenciamento térmico para veículos leves, pesados e máquinas reestabeleceu canal direto com distribuidores na Automec. Querem crescer mais do que apenas o bom mercado já está proporcionando. “O foco da empresa agora é atender bem os clientes e construir uma rede de representantes. A receptividade fez o mercado ganhar fôlego e poderemos crescer 50% acima do que o segmento cresce anualmente”. Avaliou o diretor de Vendas da companhia, Carlos Dourado, durante sua entrevista coletiva.
E um dos destaques da empresa, divulgado na feira é a nova edição do famoso diferencial Dana 44, para uso em veículos de colecionadores, veículos especiais e, claro, no icônico Opala.
Vai aumentando também a consciência que é preciso cuidar do aprimoramento de todo o setor de mão de obra. Assim é que o maior conhecimento na área age diretamente no desempenho de vendas.  Duas iniciativas são dignas de nota:


1- A Universidade Meritor de ensino à distância (plataforma de cursos gratuitos) com dados institucionais, novas tecnologias, cuidados na lubrificação de componentes, montagens e desmontagens de suas linhas de produtos – eixos, diferenciais, incluindo os novos  lubrificantes específicos lançados pela Meritor;


2- A Escola do Mecânico com cursos para Linha Leve, Motocicletas e Balconista de Autopeças com o claro objetivo de aprimorar profissionais do mercado e formar mão de obra especializada.


E como já é hábito ver em todas as Feiras do setor ou não, os veículos autônomos vão ganhando espaço. V2V (Veículo para Veículo), V2P (Veículo para Pedestre), V2H (Veículo para Casa/Home em inglês), V2E (Veículo para Infraestrutura) e V2X (Veículo para Tudo) são siglas e conceitos que passam a fazer parte do cotidiano de motoristas, montadoras e reparação. Cada veículo passa a ser uma entidade permanentemente conectada capaz de alertar o motorista, administrar os tempos, economizar combustíveis (fósseis ou não), reduzir congestionamentos, evitar acidentes, facilitar a vida das oficinas e salvar vidas.


Um setor que na Automec mostrou o que a Bosch e a Delphi (em ordem alfabética) estão fazendo para impressionar de forma positiva o mercado, tanto no pré quanto no aftermarket.


Como vocês podem ver todo um conjunto de lançamentos, atitudes e novidades que soam como uma orquestra sinfônica aos nossos ouvidos tão apaixonados por veículos.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.