COMER & BEBER: Restaurantes e lanchonetes buscam consultoria da SVB

Crescimento do veganismo estimula Sociedade Vegetariana a criar área de Desenvolvimento Comercial

Texto e fotos: Sociedade Vegetariana Brasileira

Entidade irá auxiliar gratuitamente redes de restaurantes e lanchonetes a explorarem o potencial do mercado vegano, que já reúne mais de 5 milhões de brasileiros
Com mais de 15 milhões de vegetarianos no Brasil, entre os quais 5 milhões de veganos (segundo estimativa da SVB baseada em dados do IBOPE), as redes de restaurantes e lanchonetes que não começarem a entender e atender esse público ficarão para trás. Essa é a aposta da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), que lançou um novo setor de desenvolvimento comercial para auxiliar os restaurantes.
“Temos um programa de certificação vegana bem-sucedido - nosso Selo Vegano tem quase 300 produtos certificados no mercado brasileiro, e cresce rapidamente. Mas isso não é suficiente, já que as pessoas também buscam alimentar-se na rua. Recebemos diariamente um grande número de queixas de pessoas que não encontraram opções veganas em restaurantes e lanchonetes”, explica Ricardo Laurino, presidente da SVB.


Diversas redes estão se movimentando e lançando boas opções veganas. É o caso da rede America, rede com 18 unidades espalhadas por São Paulo, que já tinha um hambúrguer vegetariano à base de quinua, mas que não era vegano pois tinha ovo na formulação. “Criamos uma saborosa maionese vegana de Homus para acompanhar o lanche, incluímos fatias de abobrinhas grelhadas e mudamos a forma de empanar o hambúrguer – agora sem ovo”, explica o chef Marcelo Favaro, autor da receita do America.
Já a Castro Burguer, nova lanchonete da zona sul de São Paulo, abriu as portas já com essa preocupação, contando com a consultoria gratuita da SVB. “A SVB nos ajudou a adequar o cardápio de modo a garantir boas opções veganas em todas as partes do cardápio: lanches, saladas, sobremesas... e o retorno está sendo surpreendente. Temos uma alta demanda”, explicou o sócio-fundador Fausto Almeida.
"Por motivações éticas, ambientais e de saúde, mais e mais pessoas têm se tornado vegetarianas e veganas. Todos estão percebendo isso - no seu trabalho, na sua escola, na sua família. E é o que os números mostram também”, argumenta Guilherme Carvalho, secretário-executivo da SVB. “As pessoas não estão pedindo para ninguém lançar um produto que não tem demanda. Pelo contrário, existe uma imensa demanda, carente de oferta adequada”.

Crescimento do interesse por produtos veganos no Brasil
Segundo o Google Trends, entre Jan/2012 e Jul/2016, as buscas na internet pelo termo "vegano" no Brasil aumentaram 1000% (mil por cento).
A SVB explica que isso reflete o que já ocorre em outros países como o Reino Unido, onde houve crescimento de 360% no número de veganos no país na ultima década (2005-2015). Nos Estados Unidos, o número de veganos dobrou em 6 anos (2009-2015).
No Brasil, empresários do setor ouvidos pela Folha de S. Paulo em julho deste ano afirmaram que o crescimento do mercado de produtos veganos tem sido da ordem de 40% ao ano, apesar da crise.
Há outro público que seria atendido por uma boa opção vegana. Além dos veganos e simpatizantes, cerca de 70% dos adultos brasileiros têm algum grau de intolerância à lactose.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.