HB20 1.0 Turbo, o teste da semana

O surpreendente carro da montadora coreana ganhou a versão turbinada no ano passado e acabou colocando fogo na concorrência

Texto: Eduardo Abbas
Fotos: Hyundai Brasil

Como é bom testar um carro novo nas ruas e estradas, principalmente este, o modelo de maior sucesso da Hyundai no Brasil agora equipado com um motor turbo de última geração e que embaralhou ainda mais o disputado mercado dos modelos compactos com motorização 1.0.


Durante uma semana eu pude sentir o prazer de dirigir o HB20 1.0 Turbo pelas ruas e avenidas de São Paulo e na estrada, em uma curta viagem até a baixada santista. Eu já havia testado o carro no seu lançamento em abril do ano passado na pista de Interlagos, você pode lembrar aqui como foi a primeira impressão, mas como já é praxe, a motorização que utiliza a tecnologia de downsizing surpreende mesmo é no dia-a-dia.


Primeiro que esse modelo tem no DNA e no sobrenome a enorme aceitação por parte do público consumidor, aqueles que procuravam um veículo pequeno, econômico e que coubesse no bolso tanto na hora de comprar quanto na de fazer as manutenções ou vender. O irmão mais velho não utiliza o auxilio da turbina, mesmo assim foi um dos responsáveis por colocar a montadora entre as quatro que mais venderam em 2016 deixando seus concorrentes diretos e alguns antigos com as mãos na cabeça.


Mas vamos falar do carro, essa belezinha não tem novidades estéticas, apenas a adição do emblema TURBO na tampa traseira, se apresenta com um conjunto mecânico novo e uma cavalaria de respeito. As principais mudanças foram no ajuste da suspensão dianteira por conta do novo motor Hyundai Kappa 1.0 Turbo de 3 cilindros e 12 válvulas, o primeiro com tecnologia flex da Hyundai no mundo, tem 105 cv de potência máxima a 6.000 rpm e torque de 15,0 kgf.m disponível já a 1.550 rpm e também o câmbio manual agora de 6 velocidades.


Não dá para notar nenhuma diferença entre os modelos com ou sem turbo, claro, enquanto estão estacionados e com o motor desligado, porque depois que você aciona a chave, meu amigo, a coisa começa a ficar diferente. Nesse novo modelo, as respostas são muito mais rápidas e as trocas de marchas devem ser feitas em um menos espaço de tempo, com isso você aproveita melhor o desempenho e altera consideravelmente o consumo, claro, com marchas mais altas e rotações mais baixas o combustível passa a render muito mais.


Ele é tão esperto quanto seu irmão aspirado, nas ruas da cidade é fácil de dirigir e manobrar quando se trata de estacionar em vagas até menos generosas que as de shopping. A grande diferença é que mesmo andando em velocidades entre 40 km/h ou 50 km/h utilizei somente a 4ª e 5ª marchas, ficando as demais apenas para tomar embalo e a 6ª reservada para vias mais rápidas, como a Marginal Pinheiros, onde o limite é de 70 km/h ou na estrada onde as velocidades são maiores. Isso impacta diretamente no consumo, abastecido com etanol e com dados do computador de bordo, fiz uma média 9,5 km/l andando em condições paulistanas: congestionamento, calor, ar condicionado ligado e intermináveis anda e pára.


O carro tem itens de conformo muito bons, embora ainda utilize direção hidráulica, sua leveza é bem próxima das elétricas usadas em modelos de outras marcas, vidros elétricos nas 4 portas, travas e retrovisores também elétricos com luz indicadora de direção e na parte de entretenimento blueAudio® com comandos no volante e aquela maravilha que é poder fazer o pareamento do telefone, evitando multas e distrações quando se dirige, é o máximo!


Da cidade para a estrada fica evidenciada a diferença no desempenho, principalmente quando se precisa de mais cavalos, isso sempre acontece naquela hora da ultrapassagem ou quando o trecho é de subida. A rodovia dos Imigrantes é moderna, ampla e tem muitas faixas, mas, e sempre existe um mas, alguns caminhões não se contentam em ficar apenas nas faixas destinadas a eles. Atingir a velocidade da rodovia é algo muito fácil e rápido com o HB20 1.0 Turbo e manter a velocidade cruzeiro também não é nada complicado, mesmo em momentos de ultrapassagem ou mesmo retomada de velocidade não precisei mudar de marcha, tudo foi feito em 6ª.


Na volta o trajeto tem aquela coisa da subida da serra, onde o regime de trabalho fica um pouco mais alto até porque temos que sair do zero e ir até 750 metros em relação ao nível do mar. A subida é muito tranqüila, apenas usei a 5ª marcha em momentos de redução de velocidade por conta de carros mais lentos à frente, mas em grande parte da viagem e desde o começo da rodovia ainda em Santos, a força do motor não pediu nenhuma redução. Com três pessoas no carro, andando na velocidade da estrada que varia entre 100 km/h e 120 km/h a média de consumo, segundo dados do computador de bordo e considerando descida e subida, foi de 12,1 km/l número até melhor que o avaliado pela montadora.


O carro tem preço inicial sugerido pela Hyundai de R$49.830,00 com frete incluso, preço promocional reduzido válido para as concessionárias HMB participantes, 5 anos de garantia, revisões programadas, Before Service (inspeção pró-ativa e gratuita promovida pela Hyundai), agendamento online de Test Drive, afinal de contas, não é a toa que esse coreanos espertinhos começam a incomodar os americanos, alemães e italianos que concorrem com eles.


Ficha Técnica

Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.