Chegou a estação favorita de tantos, muitas são as tradições do Natal, geralmente ao lado da família e amigos, com boa comida e muita diversão

Texto e fotos: Escritório de Turismo da República Tcheca

Os festejos se iniciam cerca de um mês antes, quando começa o Advento, as quatro semanas anteriores de espera e preparação para o Natal. No primeiro domingo do Advento, muitas pessoas colocam o presépio em suas casas e as feiras de Natal começam a funcionar nas praças. O maior mercado do Advento Tcheco ocorre em Praga, na Praça da Cidade Velha.

No passado, o Advento era a época de jejum e da espera do Natal. Hoje, poucas pessoas jejuam, porém alguns costumes sobreviveram há séculos. O mais notável é ter uma coroa do Advento em casa, que pode ser uma coroa de flores sem velas, pendurada na porta ou uma coroa de flores com quatro velas colocada sobre uma mesa, simbolizando as quatro semanas do Advento. Uma vela é acesa a cada domingo. Outro costume consiste em arrancar as "barbarinhas" que tem este nome porque dia 4 de dezembro é o dia de Santa Bárbara. Nesse dia, pega-se um galho da cerejeira, leva-se para casa, e coloca-se em um vaso com água, em um lugar quente, cuidando dele como se fosse uma flor comum. Se o buquê florescer até a véspera de Natal, no ano que vem todos os seus desejos serão realizados. Outra tradição é o dia de São Nicolau, em 5 de dezembro. Nesse dia, ao pôr do sol, São Nicolau, o anjo e o diabinho visitam as crianças de casa em casa. Bons filhos são recompensados por São Nicolau, mas os que não se comportaram são punidos pelo diabinho. Hoje o diabinho só serve para dar um pequeno susto. As crianças sempre recebem pequenos presentes e doces de São Nicolau.

O Natal na República Tcheca começa em 24 de dezembro. A véspera de Natal está associada a tradições e superstições, e para os ancestrais era um dia cheio de magia e rituais mágicos. Porém hoje o jejum desde o nascer do sol até a ceia de Natal não é mais observado, e quase ninguém espera ver o místico “porco dourado” que simboliza a riqueza. Por outro lado, mantém-se a tradição de decorar a árvore de Natal, cantar canções natalinas, passear, visitar o cemitério e relembrar quem já não pode festejar o Natal. Algumas famílias tchecas ainda mantêm alguns costumes pagãos como, por exemplo, adivinhar o futuro cortando uma maçã ao meio ou despejando chumbo liquefeito na água. A preparação da mesa na véspera de Natal também é algo excepcional. O número de comensais deve ser sempre par, o jantar como tal é solene e cada um veste a sua melhor roupa, uma das tradições que se conservam até os dias de hoje.

O menu da ceia é geralmente composto de sopa de peixe, carpa ou outro peixe ou milanesa com salada de batata e o famoso molho escuro da época, além de bolinhos de Natal. Todos preferem ficar sentados à mesa na véspera de Natal. Ninguém quer sair porque dizem que quem se levanta primeiro tem no máximo um ano de vida. Depois do jantar, chegam os momentos mais bonitos. É quando as crianças esperam que a campainha toque e seus olhos brilhem. O sino anuncia que o Menino Jesus, nunca visto por ninguém, acaba de sair, deixando presentes debaixo da árvore decorada. Depois de jantar e distribuir os presentes, muitas pessoas visitam a igreja mais próxima para assistir à missa da meia-noite. Uma atmosfera única reina em lugares como a Catedral de São Vito, no Castelo de Praga, ou na Catedral de São Pedro e São Paulo, em Brno.

Nos dias 25 e 26 de dezembro, famílias e vizinhos se visitam para passar um tempo juntos. O almoço tradicional é pato assado, ganso ou frango, acompanhados de bolinhos e repolho.