Emplacamentos de automóveis e comerciais leves crescem 4,25% no 1º semestre

Com o aumento da média diária de vendas e as boas notícias vindas da área econômica, a Fenabrave reviu suas projeções para 2017

Texto e fotos: Fenabrave


A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores divulgou hoje (4), durante coletiva de imprensa, o desempenho do setor automotivo no mês de junho e do acumulado de 2017.


Para todo o setor da Distribuição de Veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros), o mês de junho apresentou retração de 3% em relação a maio (277.194 unidades em junho, contra 285.757 no mês anterior). Na comparação entre os meses de junho 2017 e o mesmo mês de 2016, o setor teve alta de 5,15%.


De acordo com a Fenabrave, no acumulado do ano, houve baixa de 5,48% para todos os setores somados. No primeiro semestre de 2017 foram emplacadas 1.505.453 unidades, contra 1.592.711 no mesmo período de 2016.


Os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, ficaram praticamente estáveis, com leve queda de 0,47% em junho em relação ao mês anterior. Foram emplacadas 189.229 unidades, contra 190.122 em maio de 2017. Se comparado com junho do ano passado (166.416 unidades), o resultado aponta alta de 13,71%. No acumulado do ano, esses segmentos cresceram 4,25%. Foram comercializadas 991.475 unidades no 1º semestre de 2017, contra 951.098 no mesmo período de 2016.


Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr., apesar do mês de junho ter tido um dia útil a menos (21 dias contra 22 dias em maio), o crescimento da média diária, em 4,5% para automóveis e comerciais leves, que chegou a 9 mil unidades emplacadas, praticamente anulou este efeito. “O mês de junho mostrou-se bastante agitado politicamente, gerando, inclusive, uma pequena queda nos índices de confiança de curto prazo. Porém, isso não afetou a tendência de melhora, resultando num encerramento de 1º semestre positivo em 4,25%”, declarou.


Projeções Revisadas
Durante a coletiva de imprensa, a Fenabrave apresentou novas projeções para o ano 2017. Com base nos estudos realizados pela Federação, o setor como um todo deverá apresentar pequena queda em 2017, chegando a -1,6% para todos os segmentos somados.
  • Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, a expectativa é de alta de 4,3% sobre os resultados.
  • Já para caminhões e ônibus, a Fenabrave projeta retração de 10,2%, sendo -11,5% para caminhões, -5,5% para ônibus e -7,1% para implementos rodoviários.
  • O segmento de motocicletas, que vem sofrendo sucessivas quedas desde a crise de 2008, deverá apresentar retração estimada em 13,5%.

Transações de Usados cresceram 8,63% no 1ºsemestre
As transações de veículos usados, considerando todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros) apresentaram queda de 4,82% em junho, na comparação com o mês anterior. Foram transacionadas 1.211.753 unidades de veículos usados em junho, contra 1.273.117 em maio. Já na comparação com o mês de junho/2016, o resultado geral apresentou alta de 9,82% nos emplacamentos. Também houve crescimento no acumulado do ano. Entre janeiro e junho de 2017 houve alta de 8,63 % sobre o acumulado de 2016.


As transferências de automóveis e comerciais leves usados apresentaram retração de 4,06% em junho, na comparação com o mês anterior. Foram transacionadas 918.741 unidades em junho, contra 957.579 em maio. Em relação a junho/2016, houve alta de 10,47% nas transações destes veículos. No acumulado de 2017, houve crescimento de 9,89% sobre o mesmo período de 2016.
Do total de automóveis e comerciais leves transacionados, os usados (de 1 a 3 anos de fabricação) representaram 14,49% das negociações realizadas em junho, e 13,81% no 1º semestre do ano.
Segundo o presidente da Fenabrave, o mercado de veículos usados continua estável mantendo sua tendência. "Se comparados os meses de maio e junho, o mês passado apresentou crescimento de 0,5%. Já no acumulado, o semestre fechou em alta de 9,89%, fomentado, em grande parte, pelas operações de troca com troco", comentou o presidente da Fenabrave.

Números mais otimistas
Segundo a Fenabrave, essa leve melhora nos números indica que a economia está em recuperação, mesmo com a incerteza política, aparentemente isso não se reflete no mercado. Os financiamentos continuam na faixa de 30% de aprovação dos pedidos pelo fato da inadimplência continuar alta: 4,26 PF e 4,48 PJ, no caso dos carros usados, houve uma diminuição da oferta de modelos até 3 anos que são os mais procurados pelo mercado consumidor.
 Houve um ligeiro aumento no número de empregados com carteira assinada nesse período, mas ainda existe muita preocupação com relação às concessionárias, entre janeiro de 2015 e dezembro de 2016, 1.308 concessionárias fecharam e essa mão de obra excedente ainda não foi absorvida pelas 7.250 que restam no mercado brasileiro.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.