Alpine A470 faz corrida lendária nas 24 Horas de Le Mans


  • Signatech Alpine Matmut leva seus dois Alpine A470 até a chegada das 24 Horas de Le Mans;
  • Ocupando primeiro lugar na classificação geral a menos de uma hora do término, carro n° 35 (Panciatici / Ragues / Negrão) finalmente termina em quarto na categoria LMP2;
  • Depois de fantástica recuperação, carro n° 36 (Dumas / Menezes / Rao) se classifica entre 10 primeiros da categoria.

Texto e fotos: Renault

Apaixonante do primeiro ao último minuto, a 85ª edição das 24 Horas de Le Mans certamente ficará entre as mais marcantes da história. Sob um calor sufocante, os 258.500 espectadores assistiram a uma sucessão de reviravoltas e incidentes durante a corrida, que eliminou a maioria dos favoritos à vitória absoluta. Os LMP2 se destacaram nesta edição, com dois carros subindo ao pódio da classificação geral.


A tarde de sábado já começou dramática para o Alpine A470 de n° 36. Depois de aproximadamente vinte minutos, Gustavo Menezes foi parar no fim da reta Mulsanne e precisou da intervenção dos comissários para sair da pista. Depois disso, a equipe decidiu modificar a estratégia e fazer um quarto revezamento com Matt Rao.
Comparativamente, o início de corrida do carro n° 35 foi mais calmo. Em oitavo no grid de largada, Nelson Panciatici subiu imediatamente para o sétimo lugar. Aplicando ao pé da letra o planejamento da equipe, ele se manteve no pelotão de frente da categoria LMP2.
Mas à noite, o carro n° 36 perdeu tempo novamente. Romain Dumas teve que parar por meia hora para trocar a bomba de óleo da caixa de câmbio danificada quando Gustavo saiu da pista. Por volta de 11 da noite, Matt Rao também teve que parar para que a equipe solucionasse um problema eletrônico.
À meia-noite, o carro n° 36 estava na vigésima posição entre os LMP2. Ao mesmo tempo, a equipe n° 35 era recompensada por sua regularidade, com um quinto lugar provisório. Na mesma volta que os líderes, o trio Panciatici / Ragues / Negrão tinha todas as chances de conquistar a vitória!
Em meio a saídas de pista que provocaram neutralizações com as chamadas zonas lentas ou a intervenção do carro de segurança, a noite foi benéfica para a equipe Signatech Alpine Matmut. Quando o sol nasceu, o carro n° 35 estava na quarta posição, enquanto que o carro n° 36 estava em décimo segundo.
A recuperação heroica continuou durante a manhã: o trio Panciatici / Ragues / Negrão levou a melhor sobre os carros da Vaillante Rebellion, que tinha mantido um bom ritmo durante a primeira metade da corrida. A duas horas do término, o carro n° 35 estava não apenas na segunda posição da categoria LMP2, mas também em terceiro na classificação geral!
Apesar da pressão exercida por seu compatriota Nelson Piquet, André Negrão gerenciou perfeitamente a situação. Entretanto, a 40 minutos da chegada, o brasileiro ficou sem freios dianteiros e acabou saindo da pista, tendo que parar no box para que os mecânicos pudessem trocar os discos. O carro n° 35 terminou finalmente em quarto na categoria LMP2 e em quinto na classificação geral.
Ao volante do carro n° 36, Romain Dumas terminou na nona posição entre os LMP2, graças a um ritmo constante e uma última parada perfeitamente programada. Este resultado culminou com pontos potencialmente preciosos para o Campeonato Mundial FIA WEC no fim da temporada.

Bernard Ollivier, Diretor Geral Adjunto da Alpine - “Esta é uma corrida da qual nos lembraremos por muito tempo. Em vinte e quatro horas, passamos por todo tipo de situação. Apesar das dificuldades, a equipe se manteve sólida como se fosse uma única pessoa, para defender os valores da Alpine, como a combatividade e a garra. Continuamos na briga até o fim, como mostra o lugar conquistado por Romain Dumas nas últimas voltas. Mecânicos, engenheiros e pilotos, todo mundo fez um trabalho extraordinário. No final, o resultado geral não está à altura do que viemos buscar, mas o esporte é uma lição permanente de humildade e nossa determinação será ainda mais forte nas próximas corridas”.

Philippe Sinault, Diretor da Equipe Signatech Alpine Matmut - “Vivenciamos um momento quase irreal quando vimos, nos monitores de cronometragem, nosso Alpine A470 classificado na segunda posição absoluta das 24 Horas de Le Mans. O sonho não durou até o fim e evidentemente fiquei frustrado com o resultado final. Mas não tenho arrependimento algum da forma como gerenciamos esta corrida. Rapidamente percebemos que não éramos os mais rápidos. Assim, era preciso encontrar soluções para nos mantermos na briga. Economizando combustível e os pneus, conseguimos passar nossa estratégia de revezamentos para dez voltas em vez de nove. Aproveito para parabenizar os engenheiros que planejaram esta estratégia, assim como os mecânicos que foram impecáveis durante as paradas ou intervenções não programadas. Entretanto, fiquei decepcionado porque o resultado não recompensa a equipe à altura de seu comprometimento”.

Signatech Alpine Matmut n° 35
  • Nelson Panciatici - “Teria sido fantástico terminar em terceiro na classificação geral com um LMP2, pois não teremos uma oportunidade como essa tão cedo. Nós não tínhamos o ritmo mais rápido para a corrida, mas corremos sem cometer erros e quase conseguimos ser recompensados por isso. Passei um excelente fim de semana com Pierre e André; formamos uma boa equipe e acho que temos potencial para conquistar outros bons resultados”.
  • Pierre Ragues - “É um pouco difícil não ter conseguido subir ao pódio na classificação geral. Teria sido um momento único, para nós pilotos e também para a equipe. Sabíamos que seríamos um pouco menos performantes durante o dia, quando estava muito calor, e por isso tentamos ir além durante a noite. Também sabíamos que os freios seriam um ponto crítico, mas tínhamos que partir para o ataque mesmo assim. Mas nada poderia pressagiar que eles nos deixariam na mão”.
  • André Negrão - “Terei para sempre a lembrança desta corrida, com esta equipe fantástica. Nós não cometemos erros: as mudanças de piloto, pneus, combustível, tudo correu perfeitamente bem até que este problema de freios nos roubou o pódio. É uma pena, mas devemos usar esta experiência para nos tornarmos ainda mais fortes. Não vejo a hora de estar em Nürburgring para mostrar novamente do que somos capazes”.

Signatech Alpine Matmut n° 36
  • Romain Dumas - “Sempre é bom conseguir terminar as 24 horas de Le Mans. Nossa equipe teve uma corrida frustrante, pois nos retardamos desde os primeiros minutos. Mas batalhamos até o fim, para os mecânicos, para a Alpine e também para apoiar o carro n° 35, que fez uma corrida incrível. Isso faz parte do automobilismo esportivo, nunca podemos prever o que vai acontecer. Esta experiência com a Alpine é muito positiva, pois a equipe representa valores que me são caros”.
  • Gustavo Menezes - “Estas vinte e quatro horas pareceram mais longas do que no ano passado! Fiquei bem chateado por todos os membros da equipe, pois eles mereciam muito mais do que este resultado. Cometi pequenos erros no início de corrida, que tiveram sérias consequências. Depois, tivemos outros problemas técnicos, mas isso nunca nos desencorajou. Estávamos entre os últimos, mas conseguimos terminar entre os 10 primeiros depois de uma verdadeira maratona”!
  • Matt Rao - “É claro que ficamos um pouco decepcionados depois dos nossos problemas no início da corrida. Mas estou satisfeito com nosso nível de performance: estávamos entre os mais rápidos de forma consistente e acho que tínhamos potencial para brigar no pelotão de frente. Todo mundo trabalhou incansavelmente nestas últimas semanas e, por isso, quero parabenizar cada membro da equipe”.

Classificação final LMP2 (a confirmar)

1. Jackie Chan DC Racing n°38 – 366 voltas
2. Vaillante Rebellion n°13 +2 voltas
3. Jackie Chan DC Racing n°37 +3 voltas
4. Signatech Alpine Matmut n°35 +4 voltas
5. United Autosports n°32 +4 voltas
6. Graff n°40 +5 voltas
7. CEFC Manor TRS Racing n°24 +6 voltas
8. Cetilar Villorba Corse n°47 +13 voltas
9. Signatech Alpine Matmut n°36 +15 voltas
10. Tockwith Motorsports n°34 +15 voltas…
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.