C3 1.2 PureTech Flex, o teste da semana

O compacto equipado com o novo motor é rápido, econômico, começa a incomodar os concorrentes e juntos visitamos a Skina da Picanha

Texto: Eduardo Abbas
Fotos: Citroën

A guerra entre os compactos com motores de menor cilindrada está pra lá de acirrada, as montadoras que optaram pelo Downsizing começam a colher os frutos da conscientização dos usuários por modelos que usam essa tecnologia em seus motores, não poderia ser diferente com a Citroën.


Foram sete dias de teste com o C3 1.2 Tendance PureTech, topo de linha da versão manual e que foi abastecido com gasolina V-Power, ela ajuda no desempenho e principalmente na economia, em termos práticos, uma gasolina aditivada e de boa qualidade consegue tirar todo o potencial que o motor oferece, sem bem que o modelo é Flex e também pode ser abastecido com Etanol, ficando por conta do poder aquisitivo do bolso do proprietário a escolha.


O motor é fabricado no Centro de Produção de Thémery, na região leste da França, têm 3 cilindros, torque de 127 Nm com álcool e 120 Nm com gasolina abaixo de 3.000 rpm, 90 cv com etanol e 84 cv com gasolina, apresenta novas tecnologias como 12 válvulas (quatro por cilindro), sistema de partida a frio com aquecimento de combustível no injetor, duplo comando de válvulas variável, rodou mais de 400.000 quilômetros para ser adaptado às condições brasileiras e o câmbio manual de cinco velocidades completa o conjunto.


Por fora o C3 tem linhas marcantes e ao mesmo tempo suaves e o pára-brisa Zenith confere um grande destaque ao modelo, chama atenção para quem olha e dá uma visão muito diferente do exterior visto da cabine. Por dentro o conforto dos bancos que “abraçam” o motorista e o passageiro proporcionam uma sensação de se estar dirigindo um carro de corrida.


Em trecho urbano ele é muito gostoso de dirigir, as trocas de marcha são feitas com grande precisão e em velocidades baixas, logo se atinge a 4ª que tem um range grande, pode ser engatada a 35 km/h e ficar nela mesma até 60 km/h sem choro, isso gera uma enorme economia de combustível. Andando pelas ruas da cidade de São Paulo, com o ar condicionado ligado, fiz uma média de 12,3 km/l segundo dados do computador de bordo, uma ótima média se levarmos em conta que as velocidades das vias têm grandes variações e os congestionamentos são quase que inevitáveis.


Tem muita tecnologia embarcada, o C3 conta com Central Multimídia com tela touchscreen de 7 polegadas, rádio AM/FM, Bluetooth, USB, entrada AUX, calculadora, calendário, MirrorScreen, Duplicação da tela do smartphone, Sistema de reconhecimento de voz por meio de Smartphone, SmartApp Link MyCitroën, Ar-condicionado digital, vidros, espelhos e travas elétricas; freios com ABS, rodas de liga leve, faróis de neblina, luzes diurnas em LED, alarme e sensor de estacionamento traseiro.


Mas legal mesmo é ele na estrada, a direção é Jundiaí onde fica a Skina da Picanha, um restaurante de carnes e comida caseira, bem ao estilo do interior de São Paulo. Tudo começou em Agosto de 1993, a idéia era ter sempre a “casa cheia” e para isso duas coisas nunca mudaram: muita fartura nos pratos e tempero caseiro delicioso. Começou com propaganda boca a boca e acabou virando um sucesso, o lugar não é pequeno, mas dependendo do horário tem espera.


Avançar na picanha seria o óbvio, já que o nome do lugar já sugere isso, mas como eu já havia visitado o restaurante alguns meses atrás e provado o prato que é carro chefe, desta vez decidi variar, fomos de miolo de alcatra, que vem cheio de acompanhamentos (arroz e feijão caseiros, salada temperada com shoyu, farofa branca, cebolete com ervas) e se você achar que é pouco eles trazem mais.


A carne estava perfeita conforme o pedido (ao ponto sem sangue) e claro, o atendimento do local é muito bom, algo muito sério para os donos e no próprio site ele já dizem isso, a intenção é fazer com que os clientes gostem da comida e voltem de preferência acompanhados de novos amigos. O preço é justo, a comida espetacular, mas tenho que voltar para a estrada para terminar de avaliar o C3.


Por um pequeno trecho da Via Anhanguera e depois a Rodovia dos Bandeirantes, a volta para casa não poderia ter sido mais tranqüila. O carro se comporta muito bem na estrada, não dá nem pista da motorização pequena, pois seu comportamento lembra motores 1.6. Fiz os dois trajetos em 5ª marcha e na velocidade da estrada (100 km/h na Anhanguera e 120 km/h na Bandeirantes) sem abusar do acelerador nas ultrapassagens.


Ele é muito firme e seguro, o isolamento acústico é um ponto alto, de barulho mesmo só o contato dos pneus com o asfalto, mesmo assim é quase imperceptível. Fiz a viagem com o ar condicionado ligado e com três pessoas a bordo, o consumo de combustível foi impressionante: com dados do computador de bordo, ele fez no trajeto rodoviário a média de 17,4 km/l, é um número muito bom mesmo ele estando abastecido com um combustível que ajuda.


O Citroën C3 PureTech 1,2l Flex tem preço inicial sugerido de R$ 48.490, 3 anos de garantia, 6 anos de garantia anticorrosão perfurativa, Plano de Revisão a R$ 1 Por Dia, Citroën Assistance - 24 horas por dia, 7 dias por semana, Citroën iCheck, My Citroën, Citroën St@rt, Test Drive e aquele poder de sedução que só essa montadora exerce sobre seus pretendentes.


Ficha Técnica


Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.