COLUNA DO BORRACHA: É rir para não chorar

A Fórmula 1 de hoje é uma piada, com pilotos limitados e carros quem andam mais nas curvas que nas retas

Texto: Eduardo Abbas
Fotos: f1.com

Juro que eu nunca achei que um dia iria ouvir a seguinte frase: “o carro de corrida é mais rápido nas curvas”. Oi? Como assim? Chegamos a um ponto em que brincar de autorama tem muito mais emoção que assistir corrida de automóvel. Tá certo que na Fórmula Indy os carros são mais rápidos nos circuitos ovais, mas veja, são ovais com 4 curvas para o mesmo lado e pé cravado no acelerador!


Para que servem então as retas que existem nos circuitos do campeonato? Provavelmente para gerar faísca e acabar com os freios, já que os pneus agora nem gastam tanto como no ano passado, não adianta querer dar desculpa, virou vídeo game sem graça, não tem nenhum equilíbrio entre as equipes nem alternância nas posições, se precisamos contar o número de ultrapassagens em uma corrida é sinal que o mais importante, a disputa físico-cerebral da aurora dos tempos da categoria chegou quase no fundo do poço.


Vou tentar falar da corrida do Bahrein que acontece em um complexo monstruoso e que usa a pista como pano de fundo para as outras atrações, foi feita pelo rei do compasso e não oferece nenhum risco para os pilotos por ser quase perfeita. Só pelo fato de não oferecer risco também não impõem ousadia e nivela todos por baixo, os gênios se misturam aos idiotas e vamos correr para levantar uma grana, em resumo, é uma bosta.


Falar sobre a corrida esta se tornando uma quase tortura, mas vamos lá: depois de uma classificação apertada a Mercedes conseguiu errar na tática do Hamilton e obrigou o Bottas a abrir caminho para o companheiro. Dá pra ver pela cara de bundão do finlandês no pódio que ele não gostou muito, mas meu amigo se assinou contrato para ser segundo piloto vai chupar essa manga sempre!


Quem acabou se dando bem foi o Vettel com sua Ferrari, para alegria e alivio do Arrivabene que deve ter se arrependido amargamente desse desafio que lhe enfiaram goela abaixo. O resto foi o resto, muita gente brigando por posição, algumas ultrapassagens legais e infelizmente o cara que poderia dar um show e tirar o sono provocado pela corrida acabou batendo por problemas nos freios.


E não tem o que fazer, a herança que o Bernie Ecclestonessauro Rex deixou foi esse amontoado de carros lentos e sem barulho dirigidos por pilotos meia boca e pagante barbeiro quem sabe no ano que vêm alguma ideia melhor apareça e traga um mínimo de competição, afinal de contas, as ultrapassagens que mudam os ponteiros são feitas nos boxes. Pode isso?


A próxima etapa será na Rússia, não vai mudar muito o andar da carruagem nem modificar o que se está pintando como o quadro do ano. A Mercedes deve começar a dominar quando a categoria chegar mesmo na Europa e a Ferrari tentar incomodar, a Red Bull é a terceira força, Renault, Toro Rosso e Force Índia começam a chegar, a Haas parece perdida, a Sauber continua seu calvário, a McLaren mais uma vez será motivo para o Alonso reclamar mesmo ele indo disputar as 500 milhas de Indianápolis pela equipe e com motor Honda e finalmente a Williams, que tem um ótimo carro e os dois piores pilotos do grid vai pagar os pecados por suas péssimas escolhas.


Vou ficando por aqui, no fim de semana tem MotoGP e Fórmula Indy e na semana que vêm eu volto pra comentar o que aconteceu nas duas corridas que, certamente, vão ser muitas vezes melhores que qualquer etapa da Fórmula 1.


Beijos, queijos e aproveite a vida!
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.