Empregados da fábrica Anchieta, da Volkswagen do Brasil, doam R$ 273.941,65 a instituição beneficente de São Bernardo do Campo


  • Total doado pelos empregados é equivalente ao valor de uma hora trabalhada em 2016; a participação na iniciativa é voluntária;
  • Programa “Uma Hora para o Futuro” é uma ação do Comitê Mundial dos Trabalhadores da Volkswagen, que recebe apoio da Volkswagen do Brasil;
  • Quantia beneficiará 120 crianças assistidas pelo Centro Cultural Afro-brasileiro Francisco Solano Trindade, de São Bernardo do Campo.

Texto e fotos: Volkswagen

Todos unidos por um bem maior: ajudar o próximo. Com esse espírito de solidariedade, empregados da fábrica Anchieta, da Volkswagen do Brasil, localizada em São Bernardo do Campo (SP), acabam de doar R$ 273.941,65 ao Centro Cultural Afro-brasileiro Francisco Solano Trindade, do mesmo município. O valor beneficiará 120 crianças e adolescentes assistidos pela entidade por meio de oficinas culturais e atividades esportivas. A doação é equivalente ao valor de uma hora trabalhada no ano de 2016 pelos empregados que participam voluntariamente do programa “Uma Hora para o Futuro”, criado pelo Comitê Mundial dos Trabalhadores da Volkswagen, com apoio da Volkswagen do Brasil.


Tradicional, o programa “Uma Hora para o Futuro” convida os empregados a doarem o valor equivalente a uma hora de trabalho no ano, sendo que a arrecadação é sempre revertida a projetos sociais. As doações dos empregados da Anchieta, por exemplo, transformaram um sonho em realidade: com esse dinheiro foi criado, em 1998, o Centro Cultural Afro-brasileiro Francisco Solano Trindade, que ao longo dos anos vem sendo mantido com as doações.
“A participação voluntária de nossos empregados no programa ‘Uma Hora para o Futuro’, criado pelo Comitê Mundial dos Trabalhadores da Volkswagen, é motivo de grande orgulho para a Volkswagen do Brasil. Com esse gesto solidário, eles têm promovido o desenvolvimento social de comunidades ao redor da empresa, levando novas esperanças a crianças e adolescentes por meio da cultura e de atividades esportivas”, afirma o gerente executivo de Recursos Humanos da fábrica Anchieta da Volkswagen do Brasil, Carlos Oliveira.

Conheça o trabalho social do Centro Cultural Afro-brasileiro Francisco Solano Trindade
Oferecer atividades culturais e esportivas a crianças e adolescentes de comunidades é a missão do Centro Cultural Afro-brasileiro Francisco Solano Trindade. A novidade reservada para este ano é a oficina de “Futebol de Rua”, que utilizará o esporte para educar e promover cidadania e transformação social, incentivando uma cultura de paz e reforçando valores como companheirismo, respeito, honestidade, educação e como conviver com as diferenças. O “Futebol de Rua” tem três tempos. No primeiro, os participantes definem quais serão as regras da partida, sendo que elas devem envolver ações de cidadania, como respeito aos jogadores do outro time. O segundo tempo é o jogo de futebol. O último tempo é uma discussão sobre o jogo, cujo resultado não é contabilizado apenas pela quantidade de gols marcados, mas também pelo respeito às regras que foram definidas no primeiro tempo. É nesse momento que as duas equipes avaliam se os acordos iniciais foram cumpridos e todos têm a oportunidade de falar como se sentiram durante o jogo, se existiu respeito, solidariedade, cooperação, tolerância e se foi promovido um “jogo limpo”. No lugar do juiz, há um mediador.
O “Futebol de Rua” também foi um dos 12 projetos promovidos pelo programa “A Chance to Play – O Direito de Brincar”, que beneficiou mais de 94 mil pessoas diretamente no Brasil, em 2013 e 2014; estima-se que o programa ainda tenha beneficiado mais de 490 mil pessoas indiretamente. O “A Chance to Play” foi promovido pelo Comitê Mundial dos Trabalhadores da Volkswagen em parceria com a ONG terre des hommes – Alemanha e apoio da Volkswagen.
O Centro Cultural Afro-brasileiro Francisco Solano Trindade também oferece oficinas de capoeira, música (percussão, instrumentos de corda, sopro e teclado) e de danças afro-brasileiras, sempre no contraturno escolar. A sede da entidade é no Jardim Maria Cecília, em São Bernardo do Campo, mas a equipe também dá aulas em espaços de Sociedades Amigos de Bairro nas comunidades do Jardim Ipê e Jardim Divinéia, na mesma cidade.
“Os empregados da fábrica Anchieta da Volkswagen do Brasil têm dado um grande exemplo de solidariedade. Ao doar uma hora do salário no ano, eles estão mudando vidas de crianças e adolescentes, que passam a enxergar um novo horizonte, recebendo noções de cidadania e melhorando a autoestima. No projeto, as crianças e os adolescentes são acompanhados por assistentes sociais e educadores. Além disso, incentivamos e acompanhamos o desenvolvimento educacional, pois eles só podem participar das oficinas, se estiverem frequentando a escola regularmente”, afirmou o presidente do Centro Cultural Afro-brasileiro Francisco Solano Trindade e empregado da Volkswagen do Brasil, Nelson Rodrigues Rocha.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.