ANFAVEA: Indústria automobilística revela seus resultados no bimestre

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, apresentou na terça-feira, 7, em São Paulo, o balanço da indústria automobilística no primeiro bimestre

Texto e fotos: Anfavea

O licenciamento de veículos novos apontou uma queda de 6,4% no período com 282,9 mil unidades vendidas nos dois primeiros meses deste ano e 302,1 mil no ano passado.


Somente em fevereiro foram negociadas 135,7 mil unidades, 7,8% abaixo das 147,2 mil comercializadas em janeiro e 7,6% menor em relação as 146,8 mil do mesmo período do ano passado. Para o presidente da Anfavea, Antonio Megale, os números foram decepcionantes.


“Já imaginávamos um primeiro trimestre difícil, o que está se concretizando. Mas o resultado de fevereiro surpreendeu negativamente. Começou positivo, mas declinou no final principalmente devido ao Carnaval no final do mês. Além do mês mais curto, presenciamos um impacto nos números motivado pelas paralisações no Espírito Santo, que também reverberou para o Rio de Janeiro. Estes fatores, além das dificuldades de financiamento, impactaram as vendas”.


A produção terminou fevereiro com crescimento de 14,7% ao se comparar as 200,4 mil unidades produzidas neste mês com as 174,7 mil de janeiro. Se analisado com fevereiro do ano passado, quando 144,2 mil unidades saíram das linhas de montagem, o resultado é superior em 39%. No acumulado as 375,1 mil unidades fabricadas aumentaram em 28,1% com relação as 292,9 mil de igual período do ano passado.


As exportações no segundo mês do ano foram maiores em 74,7% – foram 66,3 mil unidades em fevereiro deste ano e 37,9 mil em janeiro. Na comparação com as 36,4 mil de fevereiro de 2016, a expansão é de 82,2%. Para o acumulado deste ano, o resultado das exportações apontou para uma alta de 73,1% com 104,2 mil unidades e 60,2 mil no ano passado.

Caminhões e ônibus
As vendas de caminhões encerraram fevereiro com decréscimo de 11,4% ao se comparar as 2,6 mil unidades no mês com as 2,9 mil negociadas em janeiro. No comparativo contra fevereiro do ano passado, a retração foi de 32,2%, com 3,8 mil unidades naquele período. No bimestre a diminuição foi de 32,8%, quando comparados as 5,6 mil unidades deste ano com as 8,3 mil de 2016.


A produção registrou aumento de 18,6% na comparação das 5,3 mil unidades de fevereiro contra as 4,5 mil de janeiro e ficou estável na análise com fevereiro do ano passado. Na soma dos dois primeiros meses do ano foram produzidas 9,8 mil unidades, resultado 3,4% maior das 9,5 mil de igual período do ano passado.
Em fevereiro 2,1 mil unidades foram exportadas, o que representa expansão de 99,2% ante as 1,1 mil unidades de janeiro e de 26,7% contra as 1,7 mil de fevereiro do ano passado. As exportações nos meses já transcorridos de 2017 acumulam 3,2 mil unidades e está 26,6% acima do que o ano passado, quando 2,5 mil unidades foram enviadas para outros países.
O licenciamento de ônibus em fevereiro ficou em 428 unidades, o que representa contração de 15,1% ante as 504 unidades de janeiro e uma queda de 38,9% frente às 700 de igual período do ano passado. Foram vendidas 932 unidades nos dois primeiros meses de 2017, o que significa recuo de 46,2% se confrontado com as 1,7 mil do ano passado.
Os fabricantes de chassis para ônibus produziram no segundo mês do ano 1,4 mil unidades – crescimento de 27% contra as 1,1 mil de janeiro e diminuíram 10% ante as 1,5 mil de fevereiro de 2016. No acumulado deste ano foram fabricados 2,4 mil unidades, recuo de 9,6% se comparado com as 2,7 mil de igual período do ano passado.
As exportações no primeiro bimestre de 2017 ficaram em 1,1 mil unidades, alta de 24,2% na análise contra as 848 unidades do ano passado.

Máquinas agrícolas e rodoviárias
As vendas de 3,2 mil máquinas agrícolas e rodoviárias ficaram superiores em 16,2% em fevereiro no confronto com as 2,8 mil de janeiro e em 33,5% ante as 2,4 mil do mesmo período de 2016. No acumulado deste ano, com 6,0 mil unidades, o setor expandiu as negociações em 49,9% ao defrontar com as 4,0 mil unidades do ano passado.


A produção no setor em fevereiro aumentou 53,8%: foram 4,6 mil unidades no mês e 3,0 mil em janeiro. Ao se comparar com as também 3,0 mil de fevereiro do ano passado o resultado foi maior em 52,5%. Somente no acumulado do ano 7,6 mil unidades deixaram as linhas de montagem, o que representa crescimento de 62,9% contra as 4,7 mil do ano passado.


As exportações cresceram 27% no primeiro bimestre com 1,2 mil unidades este ano e 958 unidades no ano passado.

Empregos
Essa enorme queda ficou muito abaixo do esperado, alguns fatores como a queda dos financiamentos e apenas 18 dias úteis em fevereiro impacta fortemente no setor. Embora o emprego tenha se mantido estável, a ociosidade nas montadoras ainda é muito grande, no setor de automóveis varia em torno de 50%, mas no setor de caminhões é assustador, a variação é de 80% de sub-utilização.


Com isso, os número de empregados que ainda estão nos programas de garantia de emprego do governo continua significativo, no total são 10.350, sendo 8.681 no PSE e 1.669 em Layoff.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.