Toyota SW4 Flex, o teste da semana

O SUV da montadora japonesa é ideal para cidade e estrada pela opção do combustível

Texto: Eduardo Abbas
Fotos: Toyota

Tem gente que sonha em ter um SUV, mas um de verdade, não adaptação de um modelo dando a ele uma cara nova, um que tenha nascido com essa função e que tenha a base de um veículo forte e com características off – road. Na verdade são poucos no mercado, a grande maioria é uma versão mais alta de modelos de luxo e que não são preparados para uma vida de trabalho enfrentando trilhas.


Esse modelo da Toyota não, ele aproveita o chassi e a mecânica da pickup Hilux, é colocada uma carroceria de SUV transformando-o assim em um veículo de trabalho e lazer. Durante uma semana eu testei nas ruas e rodovias a versão Flex, mais voltada ao público que vai utilizar em vias asfaltadas, mas que pode se atirar com tudo em estradas de terra sem medo de ser feliz.


A SW4 2017 Flex foi lançada em agosto deste ano, você pode lembrar aqui, para ser uma opção na utilização de outro tipo de combustível e mesmo no preço, essa versão custa quase R$ 80.000 menos que sua irmã Diesel, tem tração 4x2 e opção de 5 ou 7 lugares. A melhor notícia é que agora ela também faz parte do Ciclo Toyota, aquela modalidade de compra que é um sucesso e ajudou a alavancar as vendas da montadora em 2016.


Andando com ela na cidade, sua imponência prevalece sobre os outros carros menores, ela é grande e tem o tamanho certo das faixas das avenidas, dá até para os motoqueiros ultrapassarem sem grandes problemas. Com ótima visibilidade por conta da grande área envidraçada e dos generosos retrovisores externos, nada escapa à visão do motorista, é fácil de manobrar e estacionar em vagas apertadas, auxiliado pelos sensores e câmera de ré.


O que é um pouco baixa é a autonomia, mas nada que assuste, afinal de contas o motor Dual VVT-i Flex 2.7L 16V DOHC foi projetado especialmente para o mercado brasileiro, produz 163 cv de potência a 5.000 rpm com etanol, e 159 cv a 5.000 giros com gasolina. O torque máximo é de 25 kgfm (com álcool e gasolina), sempre a 4.000 rpm, ele tem a ajuda da transmissão automática seqüencial de seis velocidades com controle eletrônico, opções de direção ECO e POWER.


São Paulo é uma cidade de velocidades baixas nas ruas e avenidas, isso faz com que o conjunto trabalhe sempre em rotações menores e pude em grande parte dos trajetos usar o cruise control. O carro estava abastecido com Etanol e pude fazer uma média de 5,4 km/l, segundo dados do computador de bordo, é excelente e fica acima da verificada pela própria montadora nos testes de homologação e etiquetagem.


Na estrada é onde a coisa fica boa mesmo! Apesar do projeto ser mais urbano, a postura em rodovias é sempre muito boa. Eu testei a irmã Diesel durante o lançamento, você pode lembrar aqui, e notei que a diferença entre ambas é muito pequena, apenas a autonomia diferencia uma da outra, ela tem o mesmo conforto e respostas rápidas quando exigida.


Fui até Itu, interior de São Paulo, utilizando a rodovia Castelo Branco, uma estrada com velocidade máxima de 100 km/h com trechos bem desenhados, curvas são suaves e retas generosas. A boa quantidade de equipamentos da SW4 permite uma viagem tranqüila e confortável, os itens embarcados como coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, computador de bordo, Sistema Multimídia Toyota Play com tela de 7” touchscreen, GPS integrado, TV Digital, leitor de DVD, CD Player/MP3, Bluetooth® que podem ser comandados através de botões no volante e o ar-condicionado integrado, que atua sobre todas as fileiras de bancos elevam o modelo a outro nível de acabamento.


A atuação conjunta do motor e câmbio permite que se tenha um desempenho linear e seguro, em alguns trechos foi preciso utilizar a 4ª marcha para fazer uma ultrapassagem, mas em grande parte do deslocamento o sistema variava entre a 5ª e 6ª. Claro que isso impacta no consumo, que ficou em 7,1 km/l segundo o computador de bordo, mesmo assim a autonomia é grande e o desempenho compensa.


O modelo básico tem preço sugerido nas concessionárias da Toyota de R$ 159.600, já está fazendo parte do Ciclo Toyota, 5 cores para escolher, 3 anos de garantia, revisões a preço fixo, assistência 24 horas e acessórios originais com garantia, tá faltando alguma coisa, mas isso só você testando para saber!


Ficha Técnica




Acessórios



Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.