COLUNA DO BORRACHA - Tem que ter aquilo roxo

Em meio a pieguice exagerada e uma corrida complicada, surge um piloto que dá vontade de torcer

Texto: Eduardo Abbas
Fotos: motogp.com, f1.com

Muitos afirmam que a internet e as redes sociais deram voz a idiotas, que as telas dos computadores e seus derivados aceitam qualquer opinião, pode até ser, mas melhorou muito a visão sobre alguns pseudos mitos que agora começam a ruir. Essa dupla com 40 anos de me engana que eu gosto, começa a cair no ridículo, do palpiteiro que vive de jantares pagos por outros (não faltava só assinar?) não poderia esperar outra coisa, agora, o locutor que é odiado por 11 de cada 10 espectadores não, foi inconveniente da parte dele criticar o meio de comunicação que ele mesmo usa para vender seus vinhos. Faz o que falo e não o que eu faço? No cú pardal!


Quem fala muito dá bom dia para cavalo e respeito não se compra, se adquire com o tempo e trabalho, o piloto brasileiro que se despediu no fim de semana não conseguiu nada disso, é mais um que passou pela categoria, nada fez de importante ou mesmo foi melhor que os vários companheiros de equipe que teve, agora, despedida por despedida a do Marc Webber teve mais emoção, principalmente por ele ter sido mais piloto e encerrou a carreira naquela que era a melhor equipe na época, comparando com o futebol, o Zacarias começou no Barcelona e parou no Íbis.


Vamos ao que interessa, a corrida foi de um Piloto só, isso mesmo, com “P” maiúsculo, depois de levar uma ensaboada de um monte de gente importante caiu na real, se concentrou em correr sem errar, mostrou que é preciso ter o saco roxo pra poder encarar a traiçoeira e molhada pista de Interlagos onde ambos foram formalmente apresentados: olá eu sou Interlagos em dia de chuva, muito prazer meu nome é Max Verstappen, em dia de Gilles Villeneuve ou Senna ou Schumacher, é só escolher.


Isso se deve ao trabalho que a Red Bull faz com seriedade, claro que cobra um dízimo dos pilotos mais bem pagos para incentivar o programa de novos talentos, coloca nos carros quem tem competência e pode chegar lá, ao contrário do Zacarias que foi cumprimentado pelas outras equipes, claro, por estar no Brasil, por voltar a correr depois do acidente e principalmente por ter o filho do presidente da FIA como seu empresário, nessa hora todos querem puxar o saco e tirar uma casquinha.


Ainda bem que temos pessoas competentes de olho em novos talentos e que devem fazer uma Fórmula 1 melhor em breve, apesar da torcida contra (o palpiteiro gagá tentou diminuir o feito do Max dizendo que ele nem seria tão bom quanto o Ocon). A categoria precisava dessa nova injeção de talentos para ficar com uma cara mais alegre, chega de administrador bundão, tem que ter gente de saco roxo pra dar show.


O Hamilton ganhou e o Rosberg chegou em segundo, isso porque a Red Bull errou na tática senão o vencedor seria outro. A decisão ficou para Abu Dhabi, onde eu disse que seria, por conta de vários fatores, Interlagos que pode ter assistido sua última corrida da categoria, não fecharia o campeonato nem que a vaca tussa. Na semana que vem já vamos começar a entender melhor quem deve levar, Nico tem uma enorme vantagem, Lewis corre precisando de ajuda dos outros, o Max e o Vettel podem desequilibrar e serem os fieis da balança. A conferir.


Quem passou a régua no ano foi a MotoGP com uma corrida melancólica e cheia de despedidas também. Lorenzo venceu com sobras, Marquez deu um show de nível médio e o Iannone mostrou que corre quando quer, se tivesse se empenhado mais durante o ano poderia estar disputando o título, caído menos e não perderia o lugar na equipe, não pensou, dançou.


Eu vou ficando por aqui, volto com a coluna depois da etapa árabe da Fórmula 1 com o campeão do ano e esperando a confirmação de que o Felipe Nasr terá uma nova oportunidade no ano que vem. A decisão deve ser antes da corrida final, tem muita coisa para reverter na Sauber, que ficou puta com o falso anuncio que ele iria para a Force Índia, mas como ela precisa de dinheiro para continuar sobrevivendo as coisas podem se ajeitar. Viu o que dá mentir? Viu o que dá confiar em quem não tem compromisso com a verdade? Viu o que é não fazer jornalismo? Que vai custar mais caro vai, só queremos saber quanto.


Beijos & queijos

Twitter: @borrachatv
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.