COLUNA DO BORRACHA - Algo não cheira bem

Como pode o motor mais confiável da Fórmula 1, recém trocado, na equipe principal, virar fumaça?

Texto: Eduardo Abbas
Fotos: f1.com

Não é novidade para ninguém, quando uma equipe tem tamanho domínio em uma categoria como a Fórmula 1 que seus pilotos estão sempre sujeitos a terem surpresas nada agradáveis, muitas vezes ficam a pé por causa de erros grosseiros e falhas individuais que jamais aconteceriam se estivessem realmente disputando um campeonato com outra equipe do mesmo nível.


Acontece que, apesar do Hamilton ter voltado atrás nas declarações, tem dente de coelho nessa história do motor estourar, fazer fumaça e tirar do inglês a possibilidade de abrir vantagem no campeonato. Não vou defender o Lewis até porque ele não me paga nada nem sequer me convidou pra jantar nos últimos 5 anos, mas ele tem razão quando diz que a Mercedes está favorecendo o Rosberg.


Em algumas corridas deste ano, pude acompanhar na transmissão que várias equipes, e mesmo a Mercedes, em alguma corrida crítica pediu para os pilotos ou recolherem aos boxes, ou diminuírem o ritmo de corrida por conta de uma provável quebra ou até mesmo teve aquele pessoal do “pare o carro imediatamente e desligue o motor, existe o risco de explodir!”, lembra disso?


Pois é meu querido, como a equipe mais estruturada, dona dos softwares e hardwares dos motores não viu o que o do principal piloto iria para o saco? O que olhavam todos aqueles engenheiros senão a telemetria do carro do inglês? Isso aconteceu justamente na hora do Hammer Time (descer o martelo em tradução livre, ou para o brasileiro entender, acelerar fundo) indicação que nada de errado estava acontecendo com o propulsor.


Não vou levantar uma teoria da conspiração, mas que colocaram o Hamilton numa situação muitíssimo desfavorável e o Nico em uma tranqüilissima, ah isso puseram. E olha que ele poderia ter se ferrado muito depois que o Vettel acertou o carro dele logo na primeira curva. O tetracampeão ficou fora, o carro do outro alemão voou, só não deu mais certo porque a dupla da RedBull estava em seu dia.


Mesmo assim, e a transmissão não mostrou, o Verstappen evitou a luta final com o Ricciardo, acredito que foi uma ordem dos boxes para o australiano vencer, até porque ele já merecia e só não chegou lá em Mônaco por culpa de uma cagada sem tamanho da equipe. O resultado? Para a equipe Mercedes só adiou uma etapa a conquista do campeonato de construtores, já para os pilotos o Nico praticamente colocou a mão na taça, o Lewis vai ter que se virar nos 30 e rezar para que o carro do companheiro vire uma espiriteira como o dele.


A dupla da RedBull não quis saber e comemorou muito, na verdade eles fizeram aquela mistura de Activa com Johnnie Walker, cagaram e andaram para o campeonato de pilotos e abriram vantagem sobre a Ferrari e agora partem fortes para a etapa já neste fim de semana, no Japão, vamos ver se desta vez não inventam nenhum artifício pirotécnico para o carro do Hamilton. Na semana que vem eu volto para analisar o que aconteceu na corrida nipônica.


Beijos & queijos

Twitter: @borrachatv
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.