Vai viajar no feriado de Corpus Christi? Então confira algumas dicas importantes da Continental Pneus antes de pegar a estrada


  • A manutenção preventiva contribui para a segurança do motorista e colabora para ampliar a sua vida útil dos pneus;
  • Pneus com bolhas devem ser substituídos imediatamente;
  • Válvulas são comumente esquecidas, mas necessitam de atenção especial.

Texto e fotos: Continental Pneus

O Brasil ocupa o quinto lugar no ranking dos países com o maior número de mortes no trânsito atrás apenas da Índia, China, Estados Unidos e Rússia. Com a proximidade do feriado prolongado de Corpus Christi, no próximo dia 26 de maio, é extremamente importante revisar os pneus antes de pegar a estrada, afinal eles são o único ponto de contato entre o veículo e o solo e por isso devem receber constante atenção.


O primeiro passo é conferir a calibragem. Os pneus devem ser sempre calibrados com a inflação sugerida pelos fabricantes ainda frios. Como orientação, um pneu é considerado frio quando o veículo permanecer parado há pelo menos uma hora ou não ter rodado mais de 3 km em velocidade reduzida. “Além de ser uma importantíssima medida de segurança, manter a correta calibragem dos pneus gera economia de combustível, pois faz com que a resistência ao rolamento seja minimizada”, destaca Rafael Astolfi, gerente de Assistência Técnica da Continental Pneus Mercosul. Ele lembra que a pressão insuficiente impede que a banda de rodagem tenha um contato total com a pista, exigindo mais dos ombros do pneu, ampliando a distância de frenagem e prejudicando, inclusive, o controle sobre a direção.
Nesse momento, vale checar também a integridade das válvulas, pois elas sofrem desgastes e fadiga podendo levar a perdas súbitas de pressão. Caso elas apresentem uma superfície “craquelada” ou pequenas rachaduras na base é essencial substituí-las.
Observar se o pneu apresenta bolhas causadas por impactos contra buracos nas vias ou contatos contra o meio-fio é outra dica importante. “Bolhas são perigosas, pois podem aumentar de tamanho e se romper a qualquer momento causando uma perda súbita de pressão do pneu. Por isso não podem ser ignoradas de forma alguma, independentemente do eixo do veículo no qual o pneu esteja montado. Nessas condições o pneu fica inutilizado e deve ser substituído imediatamente”, explica Rafael Astolfi.
Também é fundamental atentar para o desgaste do sulco. Pneus que apresentem profundidades de sulco iguais ou inferiores a 1.6mm não só deixam o motorista sujeito a multas como aumentam a probabilidade de acidentes em razão da menor capacidade de drenagem da água e do comprometimento tanto da frenagem como da tração.
Indicados para serem realizados a cada 10 mil km, o alinhamento da suspensão e o balanceamento do conjunto roda-pneu-válvula são recomendados junto com a medição e o ajuste da cambagem. “O perfeito alinhamento e balanceamento desse conjunto, além de ser um importante item de segurança, garante um excelente comportamento dinâmico do veículo na estrada e preserva a vida útil dos pneus”, conclui Rafael Astolfi.
Eduardo Abbas. Tecnologia do Blogger.